Intervenções e resultados

Início Término Designação
2015.05.20 2015.05.21 Workshop Avanços translacionais em neurociência e reabilitação - 2ª Edição
2015.04.15 2015.04.16 Workshop Avanços translacionais em neurociência e reabilitação
     

 

 

» Workshop Avanços translacionais em neurociência e reabilitação  

 

Apresentação

O aparecimento das mais recentes técnicas de registo e estimulação do tecido nervoso levou a uma enorme evolução no conhecimento dos mecanismos neurofisiológicos subjacentes a múltiplos processos sensoriais, motores, cognitivos e viscerais que ocorrem no ser humano. No seguimento destes avanços está a surgir toda uma nova gama de ferramentas em reabilitação que tiram partido de alguns destes mecanismos para potenciar a plasticidade do cérebro. Por exemplo, alguns destes mais recentes avanços permitiram já a recuperação do controlo motor em casos de Parkinsonismo e o restabelecimento parcial da mobilidade e sensibilidade em sujeitos com lesões completas da medula espinhal. Dada a sua novidade e complexidade, muitos destes métodos de estudo e intervenção ainda não fazem parte do curriculum escolar dos cursos de saúde ou mesmo das especialidades em reabilitação. Uma vez que algumas destas novas tecnologias já começam a ser comercializadas, surge então a necessidade de realizar uma formação que permita aos profissionais da equipa de saúde: primeiro, ganhar contacto com estes avanços e, segundo; discutir as implicações dos mesmos para a sua prática quotidiana. Note-se que, uma vez que estes campos do conhecimento tendem a quebrar as fronteiras entre a enfermagem de reabilitação, de neurologia, e de saúde mental torna-se premente discutir quais são as implicações destes mesmos avanços para o campo da enfermagem. Assim, é necessário reflectir acerca das intervenções de enfermagem que podem surgir nestas situações e, além disso, prever quais serão algumas das novas intervenções de enfermagem que poderão/deverão ser desenvolvidas. Neste sentido, as sessões consistirão sempre numa exposição de um conjunto de estudos com avanços ou potenciais avanços clínicos, seguida da identificação e discussão em pequenos grupos das intervenções de enfermagem associadas. Também será discutida a possibilidade de criação de novas intervenções de enfermagem que se adequem a estas novas situações. Pretende-se assim, que os profissionais de saúde não só tenham contato com estes novos avanços, mas que comecem a desenvolver planos de ação para os mesmos.
A formação em Avanços translacionais em neurociência e reabilitação insere-se no projeto educativo do Instituto de Ciências da Saúde da Universidade Católica Portuguesa, que vem agora acrescentar à oferta formativa já existente relacionada com esta área científica, um espaço de exposição dos últimos avanços em neurociências e das suas implicações para a enfermagem de reabilitação. Este curso visa dar aos enfermeiros e outros interessados, conhecimentos aprofundados sobre alguns dos últimos avanços em neurociências que têm consequências diretas para a reabilitação neurológica. Além disso, devido à sua forte componente de discussão, pretende-se que esta formação prepare os profissionais para conhecerem linhas gerais de ação em pessoas que utilizem interfaces cérebro-máquina naquele que já foi definido como o século do cérebro (1).
 
Yuste R. e Church G.M. Scientific American 310, 38 - 45 (2014). 
 
 

Objetivos

O principal objetivo desta formação é fornecer aos profissionais de saúde um contato aprofundado com os últimos avanços em neurociências e neuroengenharia, promovendo a discussão de ações necessárias para lidar com problemas do quotidiano que irão decorrer do uso destas novas tecnologias. Espera-se também que esta formação contribua para uma melhoria na comunicação entre as necessidades dos serviços clínicos de reabilitação e os resultados obtidos pelos grupos de investigação em neurociências em Portugal. Por último, será ainda enfatizada a avaliação crítica de alguns dos principais dogmas da neurociência e de como estes se aplicam ou não aos atuais paradigmas utilizados em neuroengenharia e reabilitação. 
Esta formação englobará a leitura e discussão de artigos científicos recentes ou basilares, tendo em atenção os detalhes críticos da metodologia, assim como a sua relevância para os profissionais de saúde. Quando necessário serão revistos conceitos de neuroanatomia, fisiologia e/ou psicologia necessários para a compreensão dos trabalhos apresentados.
Espera-se que a aprovação no curso permita aos formandos identificar alguns dos principais desenvolvimentos da neuroengenharia e planear, de acordo com a sua especificidades, as suas intervenções em reabilitação.
 

Organização do curso

» Metodologia
A metodologia de ensino será baseada na exposição teórica das temáticas centrais, seguida da discussão em grupo de alguns dos principais estudos realizados. Esta discussão em grupo dos principais estudos, das suas limitações e do seu potencial translacional permitirá aos formandos compreender os detalhes técnicos que devem ser considerados durante a translação de estudos de ciência básica, estudos pré-clínicos e clínicos. Por outro lado, esta discussão também servirá para os profissionais dentro de cada grupo possam partilhar experiências e dúvidas acerca dos dispositivos estudados. A existência deste diálogo é também uma das capacidades que se pretende que os formandos adquiram, a fim de facilitar a comunicação entre os utilizadores na prática clínica e os engenheiros/investigadores.
 
» Conteúdos
Parte I – Técnicas de registo e estimulação/ Neuroengenharia dos membros superiores
A) Técnicas de registo e estimulação: 
B) Interfaces Cérebro-Máquina: membros superiores 
C) Identificação e Discussão em grupo das principais intervenções de enfermagem 
Parte II – Neuroengenharia dos membros inferiores 
A) Interfaces Cérebro-Máquina: membros inferiores 
B) Identificação e Discussão em grupo das principais intervenções de enfermagem 
Parte III – Avanços futuros: da neuroengenharia psiquiátrica à comunicação cérebro-a-cérebro
A) Interfaces Cérebro-Máquina: outros avanços 
B) Interfaces Cérebro-Máquina: comunicação cérebro-a-cérebro 
C) Identificação e Discussão em grupo das principais intervenções de enfermagem 
 
» Datas
15 de Abril de 2016 das 15h00 às 19h00
16 de Abril de 2016 das 09h00 às 13h00 e das 14h00 às 18h00
 
 
 

Número de horas

12
 

Destinatários

A formação em Avanços translacionais em neurociência e reabilitação está dirigida a: Enfermeiros e outros profissionais de saúde interessados na reabilitação das funções do sistema nervoso.
 

Coordenação / Docência

Professor Doutor Miguel Pais-Vieira, ICS-UCP Porto
Enfermeiro, doutorado em Biologia Humana (Neurociências) e Pós-doutoramento na Duke University (EUA)
 
 
 
Regime
Diurno | Transmissão à distância: Não
 

Local de realização

Campus da Asprela da UCP Porto
 

Propinas

Inscrição normal - 75€
Antigos alunos da ESEnfIC e do ICS – desconto 10% (67,5€)
 
 

Outras informações

Formação também disponível na modalidade de Formação Avançada: Não
Transmissão à distância: Não
 

 

 

 

» Workshop Avanços translacionais em neurociência e reabilitação - 2ª Edição  

Apresentação

O aparecimento das mais recentes técnicas de registo e estimulação do tecido nervoso levou a uma enorme evolução no conhecimento dos mecanismos neurofisiológicos subjacentes a múltiplos processos sensoriais, motores, cognitivos e viscerais que ocorrem no ser humano. No seguimento destes avanços está a surgir toda uma nova gama de ferramentas em reabilitação que tiram partido de alguns destes mecanismos para potenciar a plasticidade do cérebro. Por exemplo, alguns destes mais recentes avanços permitiram já a recuperação do controlo motor em casos de Parkinsonismo e o restabelecimento parcial da mobilidade e sensibilidade em sujeitos com lesões completas da medula espinhal. Dada a sua novidade e complexidade, muitos destes métodos de estudo e intervenção ainda não fazem parte do curriculum escolar dos cursos de saúde ou mesmo das especialidades em reabilitação. Uma vez que algumas destas novas tecnologias já começam a ser comercializadas, surge então a necessidade de realizar uma formação que permita aos profissionais da equipa de saúde: primeiro, ganhar contacto com estes avanços e, segundo; discutir as implicações dos mesmos para a sua prática quotidiana. Note-se que, uma vez que estes campos do conhecimento tendem a quebrar as fronteiras entre a enfermagem de reabilitação, de neurologia, e de saúde mental torna-se premente discutir quais são as implicações destes mesmos avanços para o campo da enfermagem. Assim, é necessário reflectir acerca das intervenções de enfermagem que podem surgir nestas situações e, além disso, prever quais serão algumas das novas intervenções de enfermagem que poderão/deverão ser desenvolvidas. Neste sentido, as sessões consistirão sempre numa exposição de um conjunto de estudos com avanços ou potenciais avanços clínicos, seguida da identificação e discussão em pequenos grupos das intervenções de enfermagem associadas. Também será discutida a possibilidade de criação de novas intervenções de enfermagem que se adequem a estas novas situações. Pretende-se assim, que os profissionais de saúde não só tenham contato com estes novos avanços, mas que comecem a desenvolver planos de ação para os mesmos.
A formação em Avanços translacionais em neurociência e reabilitação insere-se no projeto educativo do Instituto de Ciências da Saúde da Universidade Católica Portuguesa, que vem agora acrescentar à oferta formativa já existente relacionada com esta área científica, um espaço de exposição dos últimos avanços em neurociências e das suas implicações para a enfermagem de reabilitação. Este curso visa dar aos enfermeiros e outros interessados, conhecimentos aprofundados sobre alguns dos últimos avanços em neurociências que têm consequências diretas para a reabilitação neurológica. Além disso, devido à sua forte componente de discussão, pretende-se que esta formação prepare os profissionais para conhecerem linhas gerais de ação em pessoas que utilizem interfaces cérebro-máquina naquele que já foi definido como o século do cérebro (1).
 
Yuste R. e Church G.M. Scientific American 310, 38 - 45 (2014). 
 
 

Objetivos

O principal objetivo desta formação é fornecer aos profissionais de saúde um contato aprofundado com os últimos avanços em neurociências e neuroengenharia, promovendo a discussão de ações necessárias para lidar com problemas do quotidiano que irão decorrer do uso destas novas tecnologias. Espera-se também que esta formação contribua para uma melhoria na comunicação entre as necessidades dos serviços clínicos de reabilitação e os resultados obtidos pelos grupos de investigação em neurociências em Portugal. Por último, será ainda enfatizada a avaliação crítica de alguns dos principais dogmas da neurociência e de como estes se aplicam ou não aos atuais paradigmas utilizados em neuroengenharia e reabilitação. 
Esta formação englobará a leitura e discussão de artigos científicos recentes ou basilares, tendo em atenção os detalhes críticos da metodologia, assim como a sua relevância para os profissionais de saúde. Quando necessário serão revistos conceitos de neuroanatomia, fisiologia e/ou psicologia necessários para a compreensão dos trabalhos apresentados.
Espera-se que a aprovação no curso permita aos formandos identificar alguns dos principais desenvolvimentos da neuroengenharia e planear, de acordo com a sua especificidades, as suas intervenções em reabilitação.
 

Organização do curso

» Metodologia
A metodologia de ensino será baseada na exposição teórica das temáticas centrais, seguida da discussão em grupo de alguns dos principais estudos realizados. Esta discussão em grupo dos principais estudos, das suas limitações e do seu potencial translacional permitirá aos formandos compreender os detalhes técnicos que devem ser considerados durante a translação de estudos de ciência básica, estudos pré-clínicos e clínicos. Por outro lado, esta discussão também servirá para os profissionais dentro de cada grupo possam partilhar experiências e dúvidas acerca dos dispositivos estudados. A existência deste diálogo é também uma das capacidades que se pretende que os formandos adquiram, a fim de facilitar a comunicação entre os utilizadores na prática clínica e os engenheiros/investigadores.
 
» Conteúdos
Parte I – Técnicas de registo e estimulação/ Neuroengenharia dos membros superiores
A) Técnicas de registo e estimulação: 
B) Interfaces Cérebro-Máquina: membros superiores 
C) Identificação e Discussão em grupo das principais intervenções de enfermagem 
Parte II – Neuroengenharia dos membros inferiores 
A) Interfaces Cérebro-Máquina: membros inferiores 
B) Identificação e Discussão em grupo das principais intervenções de enfermagem 
Parte III – Avanços futuros: da neuroengenharia psiquiátrica à comunicação cérebro-a-cérebro
A) Interfaces Cérebro-Máquina: outros avanços 
B) Interfaces Cérebro-Máquina: comunicação cérebro-a-cérebro 
C) Identificação e Discussão em grupo das principais intervenções de enfermagem 
 
» Datas
20 de Maio de 2016 das 15h00 às 19h00
21 de Maio de 2016 das 09h00 às 13h00 e das 14h00 às 18h00
 
 
 

Número de horas

12
 

Destinatários

A formação em Avanços translacionais em neurociência e reabilitação está dirigida a: Enfermeiros e outros profissionais de saúde interessados na reabilitação das funções do sistema nervoso.
 

Coordenação / Docência

Professor Doutor Miguel Pais-Vieira, ICS-UCP Porto
Enfermeiro, doutorado em Biologia Humana (Neurociências) e Pós-doutoramento na Duke University (EUA)
 
 
 
Regime
Diurno | Transmissão à distância: Não
 

Local de realização

Campus da Asprela da UCP Porto
 

Propinas

Inscrição normal - 75€
Antigos alunos da ESEnfIC e do ICS – desconto 10% (67,5€)
 
 

Outras informações

Formação também disponível na modalidade de Formação Avançada: Não
Transmissão à distância: Não